quinta-feira, 29 de abril de 2010

Lagares de azeite - As prensas

Temos falado aqui e havemos de continuar a falar, de lagares de azeite.
No entanto, antes de voltar aos lagares de azeite da Ataíja de Cima, julgamos interessante dar algumas informações sobre os diversos tipos de prensas.
É que, a propósito do lagar dos frades, muito se fala em lagares de varas e os leitores mais jovens terão talvez dificuldade em saber como funcionava tal maquineta.

Procuramos nos livros e na internet mas não encontramos uma fotografia ou um desenho que nos parecesse suficientemente claro, pelo que decidimos fazer nós um esquema:



(Esquema de uma prensa de vara)

Este tipo de prensas não se usava apenas nos lagares de azeite mas, também, nos de vinho. Quem tem a minha idade lembra-se, certamente, de ver na Ataíja de Cima um lagar de vinho equipado com uma prensa de vara.
Era propriedade de Augusto Ribeiro e ficava na Rua dos Arneiros, do lado poente, em frente à casa do proprietário (hoje a casa de António Salgueiro), mesmo onde hoje é o caminho de acesso à casa de José Neto (Diabo).
O sistema de funcionamento era bem simples:
Fazendo força nas alavancas para fazer rodar o fuso, este puxava a vara para baixo, apertando o enceiramento e, continuando  a rodar o fuso, o peso (que era uma grande pedra, semelhante a uma mó) acabava por ficar em suspensão, obtendo-se, então a máxima pressão possível e que era a correspondente ao peso do fuso, do peso e da vara (que era, na verdade, um grande tronco).

Este tipo de prensa foi usado durante séculos até que, já no Séc. XIX, se começou a usar a prensa de parafusos:
(Prensa de parafusos, num lagar de azeite do concelho de Arouca. A fotografia foi publicada em "Estudos Aveirenses", n.º 2, ISCIA, Aveiro, 1994)


Após a vulgarização dos motores diesel surgiram as prensas hidráulicas, com as quais foram equipados todos os lagares da nossa região que eu conheci a funcionar e, ainda hoje, equipam a grande maioria dos lagares de azeite de todo o país:
                           
(Prensas hidraulicas num lagar de azeite da freguesia de Olalhas, concelho de Tomar, durante a campanha de 2009)

2 comentários:

  1. Verificámos hoje, por mero acaso, que o esquema da prensa de vara que desenhamos de propósito para este texto, se encontra reproduzido no blog "Travanca (in)Temporal" (consultado em linha em 1-6-2015), ilustrando o texto "Memórias: da apanha de azeitona ao fabrico do azeite" e sem menção de créditos (ver, em: http://travancaintemporal.blogspot.pt/2011_11_01_archive.html).
    Se, por um lado, ficamos satisfeitos, na medida em que tal reflecte alguma qualidade que o desenho possa ter, não podemos deixar de, por outro lado, lamentar este costume que grassa na internet, de apropriação do trabalho alheio, sem qualquer respeito pelo seu autor.

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho uma prensa destas. Sabem dizer-me qual o valor, caso a quisesse vender?
    Obrigada.

    ResponderEliminar